Aniversário da Bupropiona

Faz um bom tempo que não dou as caras por aqui, mas hoje resolvi aparecer. Depois do traumático desmame da Venlafaxina, passei a tomar o Cloridrato de Bupropiona. Não me vejo preparado para iniciar outro desmame e, pelo que já passei, acho que a Bupropiona tem segurado as pontas, me proporcionando ao menos alguma estabilidade emocional. Então sigo minha rotina de deglutir aquele comprimidinho toda manhã, religiosamente. Uau, e isso já vai fazer um ano! Fiz meu aniversário com a Bupropiona, Yay!

Às vezes dou uma olhada nos comentários do Blog e nas estatísticas dos acessos e vejo que a audiência só tem feito crescer. Percebo que muitos buscam aqui ajuda porque simplesmente é difícil encontrá-la em outro lugar. A meu ver, isso é reflexo de algumas causas, que enumero:

  1. Alguns médicos desconhecem os graves efeitos colaterais do desmame súbito de qualquer antidepressivo – e em especial da Venlafaxina – e continuam a prescrevê-la e retirá-la como suco de caixinha, o que acaba resultando em desmames traumáticos;
  2. Os médicos são poucos claros e comunicativos. Não raro os pacientes saem confusos dos consultórios, e não me refiro aqui à péssima caligrafia de alguns médicos, mas às explicações sobre como se dará o tratamento, e o que pode se esperar deste ou daquele medicamento. Quanto à caligrafia, aliás, muitos médicos já se tocaram que poucos têm talento – e tempo – para a arte da decifração, e partiram para uma solução simples e prática: receita impressa diretamente do computador. Ponto para você, doutor dos garranchos, que poupa seus pacientes deste trabalho penoso de hierografia;
  3. A comunidade médica no Brasil é muito fechada, um clube que concentra uma pequeníssima elite que não dá o braço a torcer quando o assunto é socializar conhecimento. Outras áreas do conhecimento já passaram pelo processo de banalização, caíram de vez na internet, e esse é um caminho sem volta. Mas a Medicina ainda não passou por esse filtro, e muita informação ainda é restrita a grupos fechados, em que há pouca oxigenação de ideias. Por outro lado, nunca é demais lembrar que deixar um assunto técnico na mão de não-especialistas pode não ter o efeito que se esperava – o lobby pela liberação da fosfoetanolamina (que nome complicado!) no Congresso Nacional é um exemplo cabal disso, em que a opinião pública passou por cima das evidências científicas. Mas mesmo nesse caso a discussão que se desenvolveu no foro público foi muito elucidativa. Quem tinha acesso a tal “pílula do câncer” era quem conhecia um amigo que ouviu falar de um conhecido que foi se tratar com um oncologista que mencionou, meio sem querer, sobre uma substância ainda em fase de testes… Dá pra ter a ideia. O ótimo foi que, com todo o debate que se iniciou, a fosfoetanolamima saiu da penumbra em que se encontrava por vários anos. Outros setores da Medicina podem se beneficiar desta evidenciação. Ok, não vou mais escrever fosfoetanolamina para poupar o leitor.
  4. Não dá pra comparar a quantidade de informações disponíveis na internet em língua inglesa com o que temos à mão em português. Perdemos de goleada, e não estou falando de 7 a 1. O placar estaria mais para 70 a 1 e, dependendo da área em que se pesquisa, pode multiplicar a goleada. Por isso, repito, a internet é um banco de dados imenso com toneladas de informação sobre a Venlafaxina. Mas 99% está em inglês. Felizmente (ou não) daqui a alguns anos a inteligência artificial terá avançado tanto que as traduções simultâneas feitas por máquinas vão estar tão boas ou até melhores do que aquelas feitas por seres humanos. Bom para você, ruim para aquele cara que vai perder o trabalho de tradutor.

Para terminar, já que hoje à noite estou inspirado, vou comentar sobre o que, por acaso, li hoje num dos comentários, sugerindo uma boa alternativa aos antidepressivos: homeopatia.

Epa, aguenta aí, rapá, será que eu li direito? O ano é 2016, já existem carros autônomos circulando pelas ruas e meu celular até já conversa comigo, e ainda tem gente que cai nessa de homeopatia? Não vou escrever um tratado sobre os prós (existe algum?) e contras deste sub-ramo oculto da Medicina, mas deixo aqui um vídeo esclarecedor.

Anúncios

10 opiniões sobre “Aniversário da Bupropiona

  1. Olá,
    Meu médico aumentou a dose do wellbutrin para 300 mg, para melhorar o que eu chamei de minha “burrice” (falta de concentração- motivação- memória, preguiça, e burrice mesmo). Você pode fazer o relato de sua experiencia com o remédio?

    Curtir

    • Olá, Suzana. Tenho tomado o cloridrato de bupropiona há mais de um ano na dose de 150mg. Subi por um período para 300mg, mas como não vi diferença, decidi retornar a 150mg. Para a depressão ela tem sido eficaz. Para ansiedade, não. Já tentei conjugar ela com Escitalopram e Paroxetina, mas nada.
      Para concentração, produtividade e motivação eu lhe recomendo um livro chamado Deep Work, de Cal Newport. Hoje em dia as redes sociais têm nos emburrecido. Procure se desligar de Facebook, WhatsApp, Tinder, etc., se não totalmente, pelo menos durante uma parte do dia.
      😉

      Curtir

      • Em relação à depressão? Você usa outros remédios? Geralmente quem tem depressão tem TAG. Você está usando algum outro com wellbutrin? Eu usei por 10 anos venlafaxina e cortei. Sofri e sofro há 6 meses desde a última dose com crises de tristeza e ansiedade, mas não acho esse drama todo como leio aqui nos comentários. O wellbutrin não potencializou a ansiedade? Sucesso.

        Curtir

  2. Eu fiquei mais desanimada do que já estou. Pois estou fazendo o “desmame” da Venlafaxina, não consigo tirar a última dose, de 37,5, por enquanto não suporto, mas minha médica já me deu o Pristiq. Detalhe, já tomo 300 mg de bupropiona.
    Há anos tomo a Venlafaxina, já parei antes, mas a retirada está sendo devastadora. Estou trocando, pois há muito tempo estou “estacionada”. Parece que nenhum remédio faz efeito, se a desvenlafaxina não der certo, não sei mais o que fazer. O pior é que nem posso ficar tranquila nesse meu processo, pois sofro muito preconceito da familia. Estou exausta!

    Curtir

  3. Tô aqui passando super mal pq faz 6 miserais dias da minha vida que o dr falou p eu simpsmente parar com o ven…..&%$lafaxina

    parece que nao vai ter fim isso.
    Apesar de tudo estou feliz que achei o seu blog e consegui rir um pouquinho com o video.
    Desculpe alguns erros na digitaçao.

    Abraço

    Curtir

  4. Graças aos teus conselhos hj posso dizer que estou liberta da Venlafaxina, pois médico nenhum passou dica alguma, na verdade nem me olhavam na cara, paga aí a consulta é aqui vai mais uma receita para seis meses, o cúmulo isso.

    Curtido por 1 pessoa

  5. Amigo, não sei como um medico pode pasar uma medicação dessa. Eu tomei por 3 meses e não fiz desmame, ja fazem 3 anos que parei , e to pior a cada dia.
    O pior é a falta de libido que ta me matando,nao me vejo sem desjo de sexo é o fim pra mim.

    outra coisa a depressão e a confusão mental, parece que os neuronios estão desconectados.

    falo e falo nas consultas mas parece que a medica ainda não entendeu, ou não tm mesmo jeito .

    abraço

    flavio

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s